Vontade de fazer xixi, ânsia de vomito, fazer lição de casa, eles arrumam mil e um motivos para sair da mesa na hora da refeição. Por isso, vamos falar da importância de incentivar e ensinar a criança a permanecer na mesa durante a refeição!

Em primeiro lugar precisamos ter consciência que para eles, tudo vem do exemplo!

Está na hora do rango, e você faz o que? Liga a TV, prepara seu prato, pega o celular e começa a curtir seu momento?


Mas você sabe a verdadeira importância de se sentar à mesa e se concentrar na sua alimentação sem estas distrações? E consegue imaginar quais são os malefícios desses hábitos para você e principalmente para bebes e crianças?

Pois é, pensando nisso resolvi falar sobre esse assunto aqui com vocês!


A vida moderna, o excesso de compromissos, o tempo escasso e também a negligência têm sido os grandes responsáveis pela perda desse momento.


A hora da refeição é um momento de dividir nosso tempo e atenção com as pessoas ao nosso redor. Por isso, a gastronomia tem um importante papel na convivência, pois representa o compartilhamento de prazeres e emoções. Ao perder o hábito de valorizar esse momento, perdemos também uma oportunidade de comunicação e interação, de por exemplo saber como foi o dia uns dos outros.


Vou listar aqui, alguns benefícios:


• Incentiva a alimentação saudável

Preparar uma refeição em casa ao invés de um fast food na frente da TV, faz você e seus filhos se alimentarem de forma mais saudável. Além do bom exemplo que mencionei, se eles ver você comer salada sempre, vão observar que isto é natural e vão incorporar isso de maneira mais fácil.

• Proporciona momentos felizes

Sentar-se com quem se ama, rindo, contando histórias e apreciando uma boa refeição é muito mais prazeroso que qualquer filme, concorda?

• Constrói uma boa memória afetiva


Quem desfruta de uma refeição incrível, jamais esquece. Seja aquela receita da sua mãe ou aquele prato do seu restaurante favorito, nós ligamos nosso paladar a momentos especiais, fazendo com que aquele sabor simbolize um período feliz. Proporcione isso aos que você ama, incentivando-os através de receitas especiais ou apenas relembrando o gosto de um bom jantar em família.


Estudos comprovam que quem busca tranquilidade e sossego no momento de se alimentar tendem a comer de forma mais saudável e em menores quantidades. Um exemplo é a pipoquinha no cinema, que antes mesmo de iniciar o filme já acabou aquele combo Gigante com o Refrigerante de 1L que você adquiriu antes do filme.


O segredo para manter o peso é simples. De acordo com pesquisas britânicas e americanas, divulgadas pelo jornal Daily Mail, basta não se distrair durante as refeições e se concentrar completamente no alimento. Comer dessa forma permite perceber as mensagens químicas que o corpo envia para mostrar que está satisfeito.


Um levantamento da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, constatou que os voluntários que se alimentaram sem prestar atenção ao que acontecia ao redor perderam uma média de três quilos durante o estudo.

Se a criança só come assistindo TV, ela não presta atenção no que está comendo. Desta forma a criança não distingue os sabores dos alimentos. Além disso, o cérebro não registra a forma correta o que a criança comeu, e ela pode comer muito mais porque não presta atenção ou menos.


É essencial que a criança saiba o que está comendo e fique atenta a mastigação. Quando se come com distrações, mastiga-se menos; com isso se produz menos saliva, o que acaba prejudicando mundo a formação do bolo alimentar (alimento depois de mastigado quando fica no estômago) e consequentemente a absorção de alguns nutrientes necessários para um bom desenvolvimento infantil.


E para resolver o problema, sirva sempre a refeição na mesa. É muito importante que toda a família esteja presente à mesa, durante as refeições. Essa medida simples ajuda a fortalecer a relação entre pais e filhos, além de tornar o horário da alimentação mais divertido e prevenir lanches fora de hora. Uma recomendação valiosa é que os pais fiquem atentos a quatro aspectos da alimentação infantil: horários das refeições bem definidos, quantidade adequada de alimento para cada faixa etária, qualidade dos alimentos e mastigação correta.


Meus pais nos ensinaram e sempre fizeram questão colocar as refeições na mesa, mas confesso que quando me casei, acabei aderindo ao sofá e TV, até porque meu marido tem essa mania. Quando o Dioguinho começou a introdução alimentar, meu grande aliado era o desenho animado. E confesso que até com o Joaquim cometi esse erro. Com as mudanças que estão ocorrendo no meu modo de agir e pensar, questionei esse meu comportamento e decidi mudar.


Com o Dioguinho (7 anos) foi bem fácil, conversei e expliquei a importância de se concentrar no alimento que está te nutrindo e ele aderiu muito bem. Já com o Joaquim (1 ano e 11 meses) houve chororo nos primeiros dias. Mas posso te afirmar que o problema esta em nós, pois eles aprendem e entendem rápido as mudanças. Ele chorava e eu explicava que aquela hora era hora de comer e que a os personagens do desenho estava papando também. Em poucos dias consegui livra-los dessa necessidade. Ainda estamos num processo e quando estou fora de casa e sem estar na mesa, as vezes utilizo esse recurso. Mas quero também eliminá-lo. Quem aí se animou também, bora comer junto?





Por Laila Leonel @maedemeninos